Fibromialgia: “Luto pela vida antes”

Como parte do Dia Mundial da Fibromialgia, um estande de informações será realizado no sábado, 12 de maio, no hospital Blois. Durante quase quatro anos, Annie Foucher, chefe da antena Loir-et-Cher A Associação Fibromialgica da Região Central, que é afetada pela doença, lidera grupos de fala e apoio. Este momento permite que a palavra se liberte. “Os pacientes vêm com seus entes queridos. Homens e jovens se atrevem a mergulhar. Muitas vezes, novos aspectos da patologia são evocados “, diz Annie Foucher.
“Nunca sabemos o que será feito amanhã” Reconhecida pela High Health Authority desde 2010, a fibromialgia é caracterizada por uma dor muscular difusa, exigindo um desbloqueio matinal, evoluindo cronicamente, associado a fadiga permanente e distúrbios do sono. Por ocasião do Dia Mundial dedicado a essa síndrome, será realizado um estande no hall do Hospital Simone-Veil em Blois, sábado, 12 de maio, das 11 às 18 horas. 
“Esta doença nunca se desenvolve por acaso. Muitas vezes acontece depois de um choque físico ou psicológico, assédio, um sentimento de abandono … Até o dia em que nos dizem que você está doente e que nunca se recuperará,  solte Annie Foucher. Então você tem que lamentar sua vida antes. ” Esses momentos de trocas entre pessoas com fibromialgia também são uma oportunidade de compartilhar dicas para viver melhor com a doença: solicitando ao médico que procure um fisioterapeuta, após tratamento no spa, praticando sofologia, seguido por um centro de avaliação e tratamento da dor …  “A inatividade não é a solução, mas não deve ser demais. Todos devem equilibrar sua força e sua dor que se mantém em movimento. Nunca sabemos o que será feito amanhã. Cabe a nós encontrar atividades adaptadas, o suficiente para ocupar nosso cérebro para que ele não pense mais na dor. ” 


O chefe da antena Loir-et-Cherie da associação quer transmitir uma mensagem de esperança:  “Nós, doentes, ainda podemos fazer muitas coisas. Nosso cérebro não é atingido. Sendo hipersensível, aproveite todos os pequenos prazeres que nos chegam. “
Se hoje o diagnóstico de fibromialgia é mais rápido, cuidado na condição de longo prazo não é no encontro. 
Contato: Annie Foucher, tel. 06.08.90.31.33 ou Associação de Fibromialgia da Região Central, tel. 02.48.65.81.40. Os próximos grupos de palestras acontecerão nos dias 25 de setembro e 4 de dezembro, no centro hospitalar de Blois.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *